//
you're reading...
Projecção Jornalística

Projecção Jornalística #1 – Este filme é bom. Este filme é muito bom.


Projecção Jornalística_f1

Foram estas as primeiras palavras que eu disse depois de ver o filme “Night Train to Lisbon”. Aliás, estava ainda no intervalo quando o fiz.

Sejam bem vindos ao meu espaço mensal neste fabuloso blogue sobre séries televisivas. Aqui, mais do que explicar-vos o que aconteceu no episódio x da série y, ou mais do que criticar realizador a ou b, vou (tentar) dar uma perspectiva jornalística àquilo que comento. Principalmente séries, tal como é o objectivo deste blogue, mas também alguns filmes que eu ache que valham a pena ser comentados – e estes, os filmes, só se tiver uma crítica positiva a fazer, como de resto já devem ter reparado pelo primeiro parágrafo.

Deixem-me só proceder a uma breve introdução sobre mim: sou o Pedro e sou mais do que viciado em séries. Filmes só quando há tempo, ou companhia, para isso. Dou a este espaço o nome de Projecção Jornalística pelo simples facto de ser aquilo que melhor faço, ou pelo menos acho que sim: o jornalismo. Estou prestes a terminar o meu curso de Comunicação Social (e Educação Multimédia), mas por enquanto sou estagiário no PÚBLICO (não se assustem, escrevo o nome do jornal em maiúsculas porque assim me manda o Livro de Estilo do mesmo). Poucas linhas, mas as suficientes para me conhecerem. Procedamos, então, ao objectivo desta crónica.

Começo por falar do “Night Train to Lisbon”. Porquê? Porque o vi na segunda-feira e acho que merece uma crítica minha.

Night Train to Lisbon

Arrisco-me a dizer que 90% dos portugueses não sabe quem foi Amadeu de Almeida Prado – eu próprio estava incluído nesse lote de pessoas até sair do cinema. Ora, este filme não é mais do que uma tentativa de reviver a vida de Amadeu. Amadeu foi um médico inicialmente muito adorado por toda a gente durante o período de ditadura em Portugal – e digo inicialmente porque, a partir do momento em que tratou do “Carniceiro de Lisboa”, ou Rui Mendes, um famoso agente da PIDE que tratou de destruir a vida a milhares de pessoas, passou a ser odiado. Amadeu fazia parte da Resistência – e permitam-me que escreva Resistência com maiúscula por achar que merece tal –, mas nunca chegou a viver o período pós-ditadura. Morreu no dia 25 de Abril de 1974. 

O filme, estava eu a dizer, é uma tentativa de retrato da vida de Amadeu de Almeida Prado por Raimund Gregorius. Raimund percorre a capital portuguesa à procura de respostas sobre a vida de Amadeu e na esperança de juntar algumas pontas soltas que nunca foram resolvidas por Amadeu, por ter morrido tão cedo. O “Night Train to Lisbon” está de tal forma conseguido que eu tenho vontade de aplaudir Billie August, o realizador. Para além de ter imagens fabulosas da cidade de Lisboa, com uma cor fantástica, dá-nos a conhecer uma parte da História de Portugal de que vocês não ouvem, normalmente, falar nas aulas ou no dia-a-dia. Claro que há também o pormenor de que os portugueses não gostam de falar do passado. Nós, os portugueses, não gostamos de remexer nas feridas que achamos saradas mas que, afinal de contas, ainda nem desinfectadas foram. Sempre assim foi e sempre assim será.

Vejam o filme. Se não for pela vontade de conhecer mais sobre a História de Portugal, que seja para tentarem descobrir onde é que são as cenas gravadas para o filme na cidade de Lisboa.

Alonguei-me mais do que queria e por isso mesmo vou terminar com uma breve nota sobre uma série sobre jornalismo.

“The Hour” é só a série mais brilhante alguma vez feita sobre jornalismo (pelo menos que eu conheça). Para além de ser britânica, “The Hour” retrata um período histórico na BBC, o canal de televisão público inglês.

Aqui vêem-se alguns dos pormenores mais fantásticos da televisão do ‘antigamente’. Têm-se uma noção completa do que é fazer televisão, o trabalho de pesquisa que há, as pressões do Governo ou de altas figuras da vida pública…enfim. É uma série completa. E por isso vou dedicar a próxima crónica a falar sobre ela.

Até lá, espero que vejam “The Hour” com o mesmo nervosismo com que eu vi quando estreou, para que possam entender o que vou escrever e discutir comigo o (já declarado morto) futuro da série. Até daqui a um mês.

About Pedro Nunes Rodrigues

Assessor de imprensa/consultor de comunicação. Membro do LIVRE. Odeio erros ortográficos. Ex-estagiário do PÚBLICO. Consumidor ávido de séries. Cinéfilo quando o tempo o permite. Leitor semi-compulsivo.

Discussion

One thought on “Projecção Jornalística #1 – Este filme é bom. Este filme é muito bom.

  1. Acabei de ver o filme, por nao ter mais que fazer ou vontade por fazer. Resolvi ve lo porque dizia Lisboa, a minha cidade Linda.
    E um filme que nos leva ao passado a descobrir historias que nao se falam, nunca ouvi os meus pais a falarem do antes do 25 abril e nessa altura ja tinham 40 anos,apenas comentavam que nao havai mutio dinheiro nessa altura e era tudo.O filme tem imagens lindas, o argumento é simles sem ser aborecido, apenas esperava ouvir os actores falarem, em portugues quando entre portugueses e na presenca do actor principal, em ingles, faria todo o sentido.E a minha unica crtica,uma critica construtiva…

    Posted by Midnight | October 15, 2014, 2:25 PM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Biblioteca

Calendário

April 2013
S M T W T F S
« Mar   May »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  
%d bloggers like this: