//
you're reading...
Análise de Episódios, Futurama

Sobre Futurama 7×05 – Zapp Dingbat


Zapp Brannigan foi, desde o início da série, uma personagem que me irritou. Talvez pela sua maneira de ser e a sua arrogância constante em querer ser melhor que os outros ou até mesmo estar, sempre, a enxovalhar o seu bom amigo Kif. Contudo, reconheço que é uma das melhores personagens desta série porque representa uma grande fatia de muitos de nós que passeiam por este mundo e abraçam o poder como quem abraça um/uma namorado(a), num momento de paixão.

Com uma pequena e simples história de amor, ficamos a saber, logo no início, como é que os pais de Leela se conheceram. E claro, não poderíamos ficar indiferentes ao quão diferentes eram nessa altura: um surfista e uma rapariga das línguas, das palavras, da escrita. O que é certo é que exploraram esta imensa paixão e o intenso amor e até aos dias de hoje vivem nos esgotos, felizes.

Poderia o leitor estar a pensar: “Mas, ó Jorge, a história não tem nada de especial…”. Pois, era o que eu também pensaria mas, aquando da celebração de mais um aniversário de casamento, e ao verem-se algumas fotos de uma vida passada a dois, alguns defeitos e algumas irritações começaram a aflorar levando a uma enorme discussão e, eventualmente, à separação destas duas almas.

Apesar desta afectar os dois, grandemente, a mãe de Leela quer esquecer aquele homem que a aprisionou, aquele homem que não a deixou seguir o seu sonho e de explorar mais dessas línguas extraterrestres. E, numa noite normal num bar, eis que salva Zapp de uma possível guerra entre civilizações. A partir daqui, vemos um “amor” crescer e dar os seus frutos estando Leela totalmente contra. E, para mostrar que tudo aquilo é errado, até se faz a Zapp com uma vestimenta sensual mas nem isso faz esquecer o seu novo grande amor.

E quando tudo parecia estar a correr de feição, eis que a mãe de Leela descobre as verdadeiras intenções de Zapp para com os seres com quem estava a falar no bar: começar uma guerra. E apesar de todas as desculpas que Zapp lhe pediu, nada disso fez com que a mãe de Leela voltasse para os seus braços.

No fim, o casal que vimos no início a festejar mais um aniversário de casamento, volta a reunir-se porque viram que, quando afastados daquilo que mais amam, mais falta sentem um do outro. E apesar de todos os erros que o outro pode cometer, nem isso consegue ser esquecido por todas as aventuras e momentos partilhados pelos dois. O amor acabou, no fim, por prevalecer e Zapp foi igualmente reduzido à sua insignificância.

Apesar deste episódio não ter estado ao nível dos anteriores, não posso dizer que não foi eficiente na mensagem que nos deixou. Zapp, um arrogante, tinha como objectivo iniciar uma guerra e mostrar o quão bom era apesar de tudo o que de mal pudesse advir daí. Apesar de muitas vezes a parte exterior deslumbrar o sexo oposto, nem sempre o interior é tão são quanto uma maçã vermelha acabadinha de apanhar da árvore. Por vezes, encontramos podres que, por mais amor que exista, nada esquece as más atitudes, as más companhias e, até mesmo, as más intenções.

About Jorge Pontes

Viajar é nascer e morrer a todo o instante, até porque é fácil apagar as pegadas. Difícil, porém, é caminhar sem pisar o chão.

Discussion

No comments yet.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Biblioteca

Calendário

September 2012
S M T W T F S
« Aug   Oct »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  
%d bloggers like this: