//
you're reading...
Análise de Episódios, Futurama

Sobre Futurama 7×03 – Decision 3012


Fry: WOW… It really doesn’t matter who you vote for. Leela: At least, we tried to make a difference (…).

No episódio passado, visitámos todos aqueles que ainda acreditam no fim do mundo em Dezembro deste ano. Mas hoje, olhamos a um fim do mundo diferente: a política.

Não podemos dizer que a política não faz parte de nós. Ela é indissociável do nosso ser porque estamos, constantemente a argumentar sobre este ou aquele assunto e a expressar aquilo em que nós acreditamos ser o mais correcto ou aquilo que sempre aprendemos desde pequenos. E todos estes ideais que, muitas vezes, escondemos dos outros, vêem ao de cima em época de eleições porque são esses mesmos ideais que nos levam a votar neste ou naquele por acreditarmos que, finalmente, algo mudará.

No terceiro episódio da nova temporada de “Futurama”, a corrida à Presidência da Terra abriu e temos, como o favorito, Richard Nixon. É ele que não só oferece cerveja grátis como promete, além de deixar os ricos ainda mais ricos e os pobres ainda mais pobres, construir uma barreira em volta do Sistema Solar impedindo que mais forasteiros entrem e roubem os nossos postos de trabalho. Cativadas que estão as pessoas, Nixon não precisa de fazer mais nada a não ser esperar pela abertura da votação e ganhar mais uma vez.

Mas, aquela que parecia ser mais uma corrida injusta, deixa de o ser quando aparece Travers, um senador que procurou, desde a sua chegada do Futuro, crescer no meio da política e vencer Nixon no seu próprio jogo. E apesar de todos os esforços deste último para deitar abaixo o seu concorrente, Travers consegue provar que é humano assistindo ao seu próprio nascimento e ainda vencer as eleições prometendo tudo aquilo que Nixon se esquecera: a diferença.

Com a esperança de que se o Passado mudaria, o Futuro seguiria o seu caminho, Travers veio de uma década onde os robôs haviam tomado a Terra tudo porque Nixon havia construído aquela rede na fronteira sul do Sistema Solar. Pretendendo vencer Nixon no seu próprio jogo, Travers lutou para se ser ouvido tendo os ideais de uma política de bem, de e para o povo, bem integrados no seu ser. Mas, como todos aqueles que querem o bem do povo são silenciados de que maneira for, dado que Travers venceu, o Futuro mudou e assim, tecnicamente, não houve a viagem do Senador para o Passado, apesar de ele ter nascido e, portanto, nunca concorreu contra Nixon pela Presidência da Terra.

No fim disto tudo, quem acabou por vencer foi Nixon e, a partir daqui, já sabemos como tudo se vai passar ou pelo menos, aquilo que vai levar à quase destruição de toda uma espécie.

Nixon: Nixon always wins!

About Jorge Pontes

Viajar é nascer e morrer a todo o instante, até porque é fácil apagar as pegadas. Difícil, porém, é caminhar sem pisar o chão.

Discussion

No comments yet.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Biblioteca

Calendário

September 2012
S M T W T F S
« Aug   Oct »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  
%d bloggers like this: