//
you're reading...
Grey's Anatomy, Séries num Minuto

Grey’s Anatomy #3


As músicas, em si, não foram mal escolhidas pois estavam directamente ligadas à série ou, simplesmente, era uma música que, com aquela situação combinava até à última letra. Talvez os únicos momentos musicais que destaco foram os de Callie que, à música, aplicava aquela sua expressão característica. The Story cantado por ela foi de bradar aos céus e embora as suas expressões tenham sido exageradas, a intenção da música e da cena estava lá criando um dos melhores momentos do episódio.

Ainda assim, não chegou para me convencer. Porque o que esteve implícito no episódio, foi muito mais que a música, foi muito mais que Callie. As pequenas histórias secundárias que tentavam arranjar para colocar no meio da narrativa principal foi muito mal pensada.

A Shonda já fez melhor que isto. E o que fica do Music Event? A sensação de que o episódio poderia ter sido algo mais, a sensação de que a história poderia ter sido contada de outra forma.

(continua)

About Jorge Pontes

Viajar é nascer e morrer a todo o instante, até porque é fácil apagar as pegadas. Difícil, porém, é caminhar sem pisar o chão.

Discussion

No comments yet.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Biblioteca

Calendário

April 2011
S M T W T F S
« Mar   May »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
%d bloggers like this: