//
you're reading...
Grey's Anatomy, Séries num Minuto

Grey’s Anatomy #1


“Grey’s Anatomy” está connosco há já 7 anos. Poucas são as séries que, actualmente, conseguem ficar tanto tempo junto dos seus espectadores e temos os exemplos de “Two and a Half Men”, “How I Met Your Mother”, os “CSI”, “Desperate Housewives” e por aí adiante. Foram aqueles sucessos que surgiram numa época de ouro da televisão quando o Drama ainda existia ou quando a novidade dos CSI ou a irreverência das comédias era o factor regente destas séries.

Como seria de esperar, quando uma série conta já com uns belos anos em cima das suas costas, tende a “inovar”, dando, ao espectador, uma nova visão sobre a história, uma outra visão sobre aquilo que está a acontecer. E “Grey’s Anatomy” não é excepção e a sua sétima temporada já teve um momento destes, salvo erro, logo no início, quando nos mostraram o aftermath de todo o tiroteio em forma de documentário ou, mais ali no meio, Golden Hour, um episódio simples e lá Grey’s dos seus primórdios que não me fizeram duvidar da (ainda) existente qualidade na história.

Mas agora pergunto: será que, Grey’s Anatomy: The Music Event (7×17, Song Beneath the Song) teve o mesmo impacto que os seus antecessores? A meu ver, não.

(continua)

About Jorge Pontes

Viajar é nascer e morrer a todo o instante, até porque é fácil apagar as pegadas. Difícil, porém, é caminhar sem pisar o chão.

Discussion

3 thoughts on “Grey’s Anatomy #1

  1. Assisto Várias séries, e Grey’s Anatomy é uma que me deixa sempre em dúvida, não há o que questionar sobre a criatividade da Autora em Fazer Season Finales, na maioria das vezes são excelentes, mas esta tentativa de inovar ao meu ver foi PÉSSIMA, ok ela pode querer fazer um musical, mas queimar um excelente roteiro como era o desse episódio com um musical fiquei realmente decepcionado.

    Posted by Luis | April 11, 2011, 1:18 PM
    • Deixa-te na dúvida porquê? Achas que a série já deu tudo o que tinha a dar?

      A ideia até não foi péssima, sabes? A maneira como foi feito e colocado numa história de alto drama é que cortou, bastante, todo o clima de tensão que se iria viver e que pouco ou nada se sentiu…

      Posted by Jorge Pontes | April 11, 2011, 11:35 PM
  2. A intenção da autora foi óptima, no entanto a história não estava preparada para fazer um evento deste género. Não acredito que o pior tenha sido o music event em si, porque acabou por não o ser quando existiram “contradições” na história.
    A mais notória foi sem dúvida em relação ao duo Lexie – Mark.
    O facto de numa das “músicas” a Lexie Grey aparecer a fazer festas no cabelo do Mark, o que sugeriu algum clima romântico e também o de ela protagonizar uma das canções em que vai ter ao encontro dele e em que demonstra o carinho dela por ele, mostra aos espectadores que talvez exista naquele momento da série uma hipótese para este par romântico.
    Este efeito desaparece no mesmo episódio quando ela fica no final com Avery.
    Foi a coisa mais estranha que já vi em Grey’s e aí “culpo” o music event, porque levou a que esta possibilidade de reconciliação do casal Lexie e Mark pudesse finalmente acontecer.
    Como fã senti-me um pouco “enganada” com o que se passou, mas continuo a amar Grey’s obviamente😀

    Ps. Quando fizeres críticas a Grey’s avisa-me🙂 *

    Posted by Catarina Almeida | August 2, 2011, 10:32 PM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Biblioteca

Calendário

April 2011
S M T W T F S
« Mar   May »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
%d bloggers like this: