//
you're reading...
Being Erica, Espelhos

Being Erica #5


O episódio 7 de “Being Erica” levou-nos a reflectir sobre a amizade.

Bem, para mim, e como o leitor já pode reparar em algumas reflexões sobre esta mesma série aqui neste blog, a amizade é das coisas que mais valor dou na minha vida. Uma rapariga amicíssima minha, uma vez me confidenciou que eu vivo por causa das minhas amizades. É certo que nesta minha vida posso contar com bastantes amigos mas quais deles são os verdadeiros?

O que é certo é que conhecidos há muitos e estão sempre ao virar da esquina. Os verdadeiros são como um trevo de quatro folhas que se escondem no meio de tantos de três folhas. Será escusado dizer que é uma sorte poder beneficiar da amizade de um amigo verdadeiro ainda para mais quando se conhece essa pessoa desde mui pequeno (por volta dos 3 anos de idade).

Talvez dê demasiado valor à amizade mas o óbvio de tudo isto é que, após três quatro dias sem ver aquelas pessoas com quem me dou todos os dias, sinto uma leve saudade, um leve desejo de poder partilhar palavras, uma leve vontade de me poder divertir com eles. E admito, por isso, que sou dependente daquela simbiose entre duas pessoas.

Mas, passando para a parte menos boa da amizade, falo das relações de “predação” dentro deste mesmo grupo. Não é por nada que existem várias categorias de “conhecidos” neste mundo e talvez aquela que mais abomino seja “a amizade para pedir coisas”. Não vale a pena alongar este tema porque só a categoria diz tudo, não é verdade?

A amizade é como um bonsai, na verdade. É precisa muita paciência, muita poda, muito amor para a fortalecer da forma como fortaleci algumas das minhas. A vontade de manter o contacto quando alguém está longe, o facto de se sorrir quando vemos alguém com quem há muito não falávamos e o facto de eu poder olhar nos olhos daquela pessoa e dizer “és e serás sempre o(a) meu(minha) melhor amigo(a)” é dos sentimentos mais puros, mais fortes que alguma vez pode existir neste mundo,. Se há almas gémeas no amor, porque não extrapolar as almas gémeas à amizade?

About Jorge Pontes

Viajar é nascer e morrer a todo o instante, até porque é fácil apagar as pegadas. Difícil, porém, é caminhar sem pisar o chão.

Discussion

One thought on “Being Erica #5

  1. “Vives para as amizades”… ainda me lembro desse dia =)e pensava que já o tinhas esquecido…

    Amizade é sem dúvida o que nos faz viver a vida ao maximo, pois com ela encontramos a força que é necessaria para ultrassar os nossos obtáculos.

    Tal como dizes, no meio de tanta gente conhecida torna-se dificil encontrar o verdadeiro trevo de 4 folhas… no entanto, a nossa procura torna-se mais facil quando paramos para pensar e olhamos para o fundo da nossa essência, porque apesar de tantos conhecidos haverá sempre aqueles que quando nos acontece algo de especial ansiamos por lhes contar, que quando imaginamos o nosso futuro eles fazem parte deste,que conversamos a noite inteira enquanto bebemos “um” café (ou entao sonhamos com o dia em que isto aconteça XD)… no fundo, desejamos que os nossos amigos estejam presentes no melhores momentos da nossa vida…

    Posted by Vanda Baltazar | December 1, 2010, 6:02 PM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Biblioteca

Calendário

November 2010
S M T W T F S
« Oct   Dec »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  
%d bloggers like this: